PROGRAMAÇÃO
ERS-122 completa um mês bloqueada para o tráfego em Farroupilha
04/12/2019 11:07 em Novidades

ERS-122 completa um mês bloqueada para o tráfego em Farroupilha

A Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CICS) de Farroupilha tenta agendar com o secretário estadual de Logística e Transportes, Juvir Costella, uma audiência na Serra. O motivo é obter informações mais concretas sobre a ERS-122, rodovia que nesta quarta-feira (04) completa um mês totalmente bloqueada para o tráfego de veículos.

O presidente da CICS farroupilhense, empresário Daniel Bampi, revela que os associados pedem respostas devido aos transtornos gerados pelo fechamento da estrada que corta o município e é a principal ligação com a Região Metropolitana de Porto Alegre. Bampi relata que muitos negócios deixaram de ser concretizados e que alguns produtos já tiveram os preços reajustados, como é o caso dos combustíveis, pelo fato de ser feita outra rota, encarecendo o frete.

O empresário conta que o período natalino é propício às vendas, principalmente ao setor malheiro de Farroupilha, cidade que concentra centros comerciais. Bampi diz que um comerciante lhe relatou que as vendas chegaram a cair 70% nos finais de semana, pois os ônibus de turismo não passam mais pela cidade. O líder empresarial pondera que o fechamento da ERS-122 gera um desgaste econômico e de tempo. Por isso, o contato é constante com o Governo do Estado em busca de uma solução. A intenção de Bampi é que o secretário Juvir Costella explique à comunidade os motivos de a rodovia estar fechada há um mês.

O evento registrado no Km 43 da ERS-122 no dia 04 de novembro foi o maior dos últimos 19 anos. Em dezembro de 2000, uma queda de barreira no Km 45 matou três pessoas e deixou o trânsito no local interditado por sete meses. Novas detonações de rochas devem ser realizadas nesta semana às margens da rodovia. Mesmo com o término dessa ação, a liberação total da estrada provavelmente não ocorrerá este ano.

A previsão do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer-RS) é de que o tráfego de veículos seja liberado tão logo ocorra o desmonte e a remoção das rochas que serão explodidas na encosta. Após, o material será levado para uma área em São Vendelino. Representantes da estatal destacam que os trabalhos são realizados seguindo normas de segurança. Antes da liberação da ERS-122, o asfalto danificado pela queda da barreira deve ser restaurado.

COMENTÁRIOS